Era uma vez uma….

Adoramos ouvir e contar histórias. E as histórias dos contos de fadas têm muito material para reflectir!

A frágil cinderela que por umas horas consegue viver o sonho de ir ao baile tem para nós a representação perfeita no sapatinho de cristal que perdeu durante o súbito e urgente despertar: a fuga do baile onde tinha sido a estrela principal.

Tal como o sapatinho da cinderela, todos os sonhos são à medida do seu proprietário, e por isso quando o principe foi atrás da pessoa que o tinha sonhado, só no pé dela o sapatinho podia entrar.

Esta pulseira, desenhada com a história em mente, foi construida para uma cinderela moderna. A sua forma lembra em linhas estilizadas a do perfil de um sapato, e as suas aberturas rectangulares sugerem janelas, ou portas, ou portas e janelas, ou ainda mais indirectamente escadas que se sobem e descem no processo de se tornar os sonhos reais…. “quando se fecha uma porta, abre-se uma janela”, dizem os populares… e assim se vai moldando o idílico à medida do possível.

As cinderelas modernas não são diferentes daquela da história. São homens e mulheres que todos os dias procuram trazer à matéria aquilo que ambicionam.

A cinderela desta pulseira é uma mulher a quem tirámos a medida mais estreita possível do punho. A pulseira entra no seu pulso de uma só forma e dificilmente entrará no pulso de outra pessoa. Como aconteceu com o sapato da primeira Cinderela.

A turmalina bicolor da pulseira, com uma linda coloração translúcida, não é perfeita. Está lascada numa das extremidades e foi escolhida de propósito nestas condições para este projecto: imaginamos que o sapato de cristal, depois do uso e de cair pela escadaria durante a fugida, não tenha também ficado intacto; mas continuou a ser, como esta turmalina, muito especial. Um pequeno detalhe, que quase passa despercebido, mas que faz toda a diferença. Como os sapatinhos de cristal numa história inteira.

A pulseira Cinderela é uma joia que pertence à nossa colecção particular.

Terá certamente oportunidade para a ver pessoalmente.